domingo, 1 de janeiro de 2012

Atenção aos promenores.

O órgão de aviação americano (US Federal Aviation Administration) preparou uma interessantíssima Home Page, infelizmente já desactivada, descrevendo um de seus mais engenhosos dispositivos. 

O mesmo buscava testar a resistência do vidro dos pára-brisas de aeronaves, e consistia numa espécie de canhão que disparava um frango morto na direcção do vidro do avião sob teste. 

O disparo era exacto, e reproduzia a velocidade com a qual uma ave se chocaria com um avião em vôo. Teoricamente, se o pára-brisas resistisse à prova de impacto, então certamente suportaria uma colisão com um pássaro em vôo. 

Na prática, o dispositivo funcionou perfeitamente, com centenas de provas efectuadas nos EUA. 

Engenheiros brasileiros, que estavam a desenvolver uma locomotiva super veloz, encontraram essa Home Page e interessaram-se pelo canhão de frangos, pensando em aplicar a ideia aos pára-brisas de seu novo comboio Hi-Tech, já em fase final de projecto. 

Entraram em contacto com a US-FAA, conseguiram um canhão emprestado, e começaram a efectuar os testes. 

Logo no primeiro tiro, o frango estraçalhou o vidro frontal do comboio,quebrou o painel de instrumentos, arrebentou a cadeira do maquinista, feriu dois técnicos e voou até o fundo da locomotiva, estatelando-se na parede traseira, deixando uma profunda marca no metal. 

Os engenheiros brasileiros ficaram completamente perplexos com o surpreendente e violento resultado. 

Documentaram a cena em detalhes. Produziram fotos digitais, gravaram declarações de testemunhas oculares, elaboraram documentos técnicos, e enviaram todas estas informações num arquivo zipado para a US-FAA via e-mail, perguntando o que é que tinham feito de errado. 

Os técnicos americanos estudaram cuidadosamente a documentação recebida e responderam, em um e-mail seco e directo: 

"DESCONGELEM O FRANGO.

Sem comentários:

Enviar um comentário