quarta-feira, 2 de março de 2011

TAP, poupa um milhão de euros por ano

A TAP acaba com 16 chefias e poupa um milhão de euros por ano, mas pesar destes cortes, ainda houve níveis hierárquicos onde a transportadora até aumentou o número de chefes
Reduziu o número de chefias intermédias 9,36% desde Setembro, passando estes cargos de 171 para 155. Considerando os salários mensais médios das chefias cortadas, a transportadora poderá conseguir uma redução de 1,08 milhões de euros na folha salarial, isto quando a "limpeza" das chefias ainda vai a meio - a ordem do governo são cortes de 20% neste tipo de hierarquias e esse tem sido o valor dos cortes da Carris ou dos CTT, por exemplo.

Assim, e de Setembro de 2010 até Fevereiro deste ano, a companhia aérea foi reduzindo gradualmente os cargos em cada nível organizacional, tendo acabado sobretudo com chefias de nível remuneratório mais baixo - até porque são aquelas onde estavam mais profissionais. Só na categoria "460" - a estrutura da TAP está organizada por números -, onde o ordenado médio mensal ronda os 3579 euros brutos, desapareceram dez chefes, havendo agora um total de 41 cargos ocupados, contra os anteriores 51. Mas os níveis hierárquicos superiores não passaram incólumes: no patamar "700", onde existiam 13 chefes a auferir em média 5248 euros mensais brutos, foram cortados quatro cargos. Na categoria mais elevada - a "1216" -, onde o ordenado mensal ronda 9 mil euros, manteve-se o único cargo existente, ao passo que nos dois patamares seguintes, a TAP acabou com uma chefia - os nove chefes que auferiam 8720 euros por mês passaram a oito, e os dez titulares de cargos de nível "920", com ordenados médios superiores a 6500 euros, passaram a nove.

Níveis com mais chefes Contudo, e se no geral a TAP conseguiu reduzir os cargos de chefia, em alguns níveis hierárquicos mais baixos estes até aumentaram de Setembro a Fevereiro deste ano.

Assim, e nos patamares "400" e "350", onde em Setembro se contavam um total de 33 chefias intermédias, agora contabilizam-se 40. Estes são os penúltimos níveis hierárquicos da TAP em termos de chefias intermédias, sendo que 22 destes 40 cargos ganham em média 3580 euros mensais brutos e os restantes 18 mais de 3300 euros. Sem estes aumentos de chefias, as poupanças salariais da TAP poderiam ascender já a quase 1,5 milhões de euros por ano.

"A efectivação da redução dos cargos de chefia, em resultado da orientação do governo, insere-se no âmbito de uma análise conjunta que está já em curso e que decorrerá com a máxima celeridade, salvaguardando os interesses e as exigências impreteríveis do adequado desenvolvimento da actividade da empresa", refere um documento do Ministério das Obras Públicas de segunda-feira passada, dando conta dos acertos que até ao momento já foram feitos nas chefias da transportadora aérea nacional.

A TAP, que deve ser privatizada este ano, foi uma das empresas do Estado que tiveram direito a um regime de excepção ao nível das medidas de austeridade, sendo-lhe apenas exigido um corte de 15% em parte dos seus custos. A empresa apresenta os resultados de 2010 amanhã.

Fonte : Filipe Paiva Cardoso, no I

Sem comentários:

Enviar um comentário