domingo, 13 de fevereiro de 2011

Detido antes de embarcar, com 259 animais escondidos na bagagem

Casos de tráfico de animais são comuns por todo o mundo, mas esta semana no Aeroporto Internacional de Bangcoc, na Tailândia, foi detido um homem, que ao tentar embarcar para a Indonésia, chamou a atenção das autoridades aduaneiras pelo seu comportamento.

Ao passar pelo controle de bagagem, na passad quinta-feira, 10 de Fevereiro, o indonésio de 34 anos foi detido, porque trazia, nada mais nada menos do que três malas, nas quais escondia 259 animais das mais variadas espécies. As bolsas foram adaptadas com divisões internas para guardar todos os bichos.

Entre os exemplares que ele tentava contrabandear havia mais de cem quelónios, entre eles uma Astrochelys yniphora, espécie nativa de Madagascar, considerada uma das tartarugas mais raras do mundo, e 88 tartarugas-estreladas-indianas, que têm o casco com desenhos similares a estrelas.

Quelônios, quelónios ou testudíneos são répteis da ordem Testudinata (Chelonioidea). Este grupo está representado pelas tartarugas, as marinhas e as de água doce, pelos cágados de água doce, e pelos jabutis terrestres. (In Wikipédia).

Havia ainda seis exemplares de "mata-mata", quelónio amazónico com aparência pré-histórica. As malas também continham 34 pítons-reais e 2 jiboias. Além de mais de 20 lagartos, o indonésio pretendia transportar ainda, 22 esquilos e um papagaio.

O suspeito admitiu à polícia que comprou os bichos no mercado Chatuchak, na capital tailandesa. O local é conhecido por serem ali oferecidas para venda algumas das espécies animais mais raras do mundo. Segundo a organização internacional "Traffic", que monitora esse tipo de comércio, a actividade ilegal continua no mercado, apesar da actuação das autoridades.

A policia, que deteve o homem, calcula que este deve ter gasto cerca de 25 mil euros,para comprar todos os bichos, que poderiam render o dobro, na revenda.

O crime pode levar o homem a ficar quatro anos na cadeia, além de ter de pagar multa de 1.500 euros.

Sem comentários:

Enviar um comentário