quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

Qantas, volta a ter problemas nos seus aviões.

A companhia aérea Qantas sofreu nesta quarta-feira, 26 de Janeiro, outro incidente num doa seus aviões, a mais recente de uma série de problemas que vêm afectando a empresa australiana famosa, entre outras coisas devido a uma cena do filme "Rain Man".

O Boeing 737-476, prefixo VH-TJH, com destino a Sydney (voo QF-670), com 99 passageiros a bordo, teve que retornar nesta quarta-feira a Banguecoque após o piloto ter detectado que um dos motores estava a consumir mais combustível do que o habitual, segundo informou a companhia aérea.

O incidente aconteceu algumas horas depois de, em outro voo que ia de Adelaide a Melbourne, as máscaras de oxigênio dos passageiros, foram accionadas, devido a uma mudança na pressão da cabine causada por um defeito no sistema do ar condicionado.

Em "Rain Man", Dustin Hoffman interpreta um autista que entra em pânico num aeroporto, negando-se a embarcar, noutra qualquer companhia aérea, que não fosse a Qantas, visto que as outras tinham sofrido acidentes graves.

Apesar do seu irmão Charlie, lhe explicar que todas as companhias aéreas já tinham tido acidentes, o que não significava que não fossem seguras, e que a Qantas não voava para Los Angeles de Cincinnati, onde estavam, mas apenas de Melbourne. O personagem de Hoffman não se deixa convencer, e finalmente os dois decidem fazer a longa viagem de carro.

"Rain Man", premiado com dois Oscars em 1989, tornou-se numa bem-sucedida campanha de marketing para a Qantas, uma das companhias aéreas cuja imagem nunca foi atingida por qualquer trágico acidente.

No entanto, a empresa vem sofrendo uma série de problemas que durante as últimas semanas foram registados em alguns de seus aviões.

"As pessoas continuam falando da Qantas por causa de ''Rain Man'', mas se se abre um precedente, é muito difícil recuperar essa reputação", comentou o especialista em publicidade Brendan van Maanen, em declarações publicadas pelo jornal "Sydney Morning Herald".

Há uma semana, outro avião da Qantas que voava para Sydney de Nova York teve que ser desviado a Fiji, por causa de um defeito na válvula de combustível de um dos motores.

Os incidentes somam-se aos defeitos no motor Rolls Royce do novo Airbus A380, descoberto pela primeira vez numa aeronave da Qantas e que em Novembro levou a companhia, juntamente com a Singapore Airlines, Lufthansa e outras grandes empresas aéreas, a deixar de utilizar os seus A 380, o maior avião comercial do mercado.

A Qantas argumenta que, em todos os casos, as aterragens de emergência dos seus aviões foram feitas como medida de precaução e ressalta o seu excelente histórico em matéria de segurança.

Fontes: EFE via Terra / Aviation Herald


Sem comentários:

Enviar um comentário