terça-feira, 14 de dezembro de 2010

A Morte Chegou Cedo , para o "Araújo", João Fortuna

Hoje estamos mais pobres...o nosso querido amigo João Fortuna, deixou-nos...muito cedo, e sem avisar.

Fez o voo sozinho.

Mas porquê, tão cedo ?!

Acendeu-se, mais uma estrelinha no firmamento da saudade.

No Tempo dos Araújos, presta esta singela homenagem, a um amigo, companheiro leal e divertido.

Na foto, o João, no meio,ao ladao da Céu.


A Morte Chega Cedo

A morte chega cedo,
Pois breve é toda vida
O instante é o arremedo
De uma coisa perdida.

O amor foi começado,
O ideal não acabou,
E quem tenha alcançado
Não sabe o que alcançou.

E tudo isto a morte
Risca por não estar certo
No caderno da sorte
Que Deus deixou aberto.

Fernando Pessoa, in 'Cancioneiro'

Sem comentários:

Enviar um comentário