quinta-feira, 4 de novembro de 2010

"Voo directo" estreia dia 12 de Novembro

E eis que finalmente o avião "Voo directo" se faz à pista na antena da RTP1. O embarque está marcado para sexta-feira, dia 12, pelas 21 horas. Mas trata-se de uma espécie de escala, uma vez que a co-produção descola já este sábado dia 6, na TPA, canal público de Angola.

Já há muito que esta viagem de 26 capítulos foi anunciada, chegando agora o momento da sua ignição no pequeno ecrã.

Após algum atraso inerente ao olear da máquina que faz mexer a parceria entre a RTP e a TPA, a série "Voo Directo", que marca o regresso de Soraia Chaves à representação por terras lusas como protagonista da trama, fará o seu percurso semanal, às sextas-feiras, no horário nobre da estação do Estado.

Para assinalar o arranque da intriga que versa, justamente, os meandros das companhias aéreas, tendo como palcos de acção as cidades de Lisboa e Luanda a produtora SP Televisão em conjunto com a RTP, organizaram uma original recepção.

Equipa, responsáveis e jornalistas reuniram-se, com direito a bilhetes, inclusive, para o voo inaugural da série: a projecção das primeiras imagens.

"Senhores passageiros do 'Voo Directo" pedimos a vossa comparência junto à porta de embarque", ouviu-se de fundo. Depois da última chamada, com a tripulação acomodada e a nota de boas vindas feita ecoar pelo comandante, deu-se, então, a descolagem do apanhado da história no monitor do avião. Cerca de dez minutos volvidos, a mesma voz disse: "Chegámos ao destino. Informamos que lá fora há um espaço para entrevistar e fotografar".

Retrato de uma geração

A "componente moderna, contemporânea" e a promessa de "boas noites de entretenimento" na RTP1, foram os aspectos frisados pelo director de Programas, José Fragoso, quem não se cansa em reforçar a ideia de que "o prumo estratégico do canal" assenta na aposta "em séries diferenciadas" em detrimento das novelas.

Por seu turno, Jorge Marecos que representa a produtora, enalteceu o cariz pioneiro da trama e o facto de vir a estar no ar simultaneamente em Angola e Portugal.

"Foi um processo complicado, que necessitou de tempo para amadurecer", atendendo à confluência de esforços dos dois países. Relevou ainda: Soraia Chaves, figura de proa da narrativa cuja tónica se deposita na vida de quatro assistentes de bordo na casa dos 30, sublinhou "a incrível experiência" do que rotulou de três meses de "aventura". "É uma série muito fresca, feminina", realçou a actriz.

Certa de que, sobretudo "as mulheres se identificarão bastante", parte do combustível da engrenagem reside também no lado icónico de cada personagem que, no fundo, tipificam toda uma geração. Maya Booth, Erica Chissapa e Micaela Reis desempenham outros dos principais papéis.

Soraia Chaves grava ficção de época em Barcelona

Soraia Chaves investiu na formação profissional no país vizinho, encontrando-se de momento a residir em Espanha, onde, aliás, irá permanecer, pelo menos, durante mais dois anos.

Paralelamente aos estudos, a actriz adiantou que está envolvida num projecto de época para a Tele 3, tratando-se, por sinal, de uma co-produção com o nosso país, embora tenha optado por não revelar com que canal.

"Estou a gravar em Barcelona. É uma minissérie de dois episódios sobre a I Guerra Mundial", avançou. Nicolau Breyner, Sílvia Rizzo e Filipe Duarte integram o restante elenco luso do conteúdo catalão intitulado "Cidade Neutral".

A título de curiosidade Soraia confessou que está a ganhar aversão a aviões. "No início tinha medo, depois, com tantas viagens, passou por completo e agora está a voltar, não sei bem porquê", comentou.

Por : Elsa Pereira, no JN de 04-11-2010

Sem comentários:

Enviar um comentário