quarta-feira, 17 de novembro de 2010

‘Don’t Touch My Junk’.

Será este o "out fit", na fotografia aqui ao lado, a usar pelos passageiros nos USA, ao se apresentarem, para embarcar?

Pelo relato a seguir, parece que será mesmo assim que teremos que nos "vestir", para nos sujeitar-mos ao controle da segurança, antes de embarcar.

John Tyner - um engenheiro de informática de 31 anos, viu adiada a sua viagem de avião para Dakota do Sul, onde iria caçar faisões com seu padrasto no último sábado, dia 13 de Novembro.

Os seguranças do Terminal 2 do Aeroporto Internacional de San Diego, Califórnia, USA, queriam revista-lo, mas John não deixou.

Prevendo que aquele diálogo não ia acabar bem, ligou a câmara do seu telemóvel, e gravou tudo.

Ao brincar com a possibilidade dos seus genitais serem tocados pelo segurança, desencadeou um processo que o levou a ficar em terra nesse dia. O vídeo foi parar ao Youtube e tornou-se num dos clips mais vistos da rede.




Num dado momento, o segurança do TSA (Transportation Security Administration) avisa:

“Vamos fazer uma revista na sua virilha,” acrescentando, “vou colocar uma mão na sua virilha e outra na sua parte interior da coxa, depois vou deslizar as mãos lentamente para cima e para baixo, duas vezes para frente e duas vezes para trás.”

“Pode fazer isso, mas se tocar nos meus genitais (Junk) vou mandar prende-lo,” disse Tyner num tom irónico para aliviar a “tensão do momento,” segundo relata no seu Blog.

Esta "brincadeira", não foi bem recebida pelo segurança que de imediato chamou o seu supervisor.

O supervisor explicou o processo de revista a Tyner, afirmando em seguida:

"Se não se sentir confortável com este procedimento, podemos acompanha-lo de volta á entrada e você não irá viajar hoje."

Tyner respondeu:
"OK. Eu não entendo isso como uma agressão sexual, mas como uma condição para que possa voar."

"Isto não é considerado uma agressão sexual", contrapôs o supervisor.

"Seria se não fosse o governo", respndu Tyner.

"Ao comprar o seu bilhete, você desistiu de uma série de direitos", retorquiu o supervisor da TSA.

Resultado final deste diálogo ?

Tyner foi levado pela polícia até ao balcão da American Airlines, aonde, para sua surpresa, o valor do seu bilhete, que era não reembolsável, lhe foi entregue, e ficou apeado...

Sem comentários:

Enviar um comentário