quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Crise, afecta companhias charter

Nas últimas semanas chegaram notícias de novas falências em companhias aéreas, entre aquelas que se dedicam ao segmento charter e que, normalmente, trabalham para os operadores turísticos.

No final de Outubro foi a sueca Viking Airlines. Por uma semana que não ficou com a operação que esteve a ser feita no Verão entre Londres e a ilha do Porto Santo, que era operada pela Atlantic Holidays.

A companhia tinha um avião baseado na capital britânica, uma base que foi também desactivada devido à devolução ao ‘lessor’ dos três aviões com que a companhia trabalhava e consequente insolvência da empresa.

A última má notícia que se conhece foi a do encerramento da Hamburg International Airlines que também voava para a Madeira.

No ano passado teve um volume de negócios de 130 milhões de euros e tinha actualmente uma frota de oito A319 e um B737. Tinha projectos de expansão, pelo que tinha encomendado mais dois A319, para receber em 2011.

A companhia, alemã, tinha metade dos seus voos contratados com o operador Thomas Cook. Tinha base no aeroporto de Weeze, no nordeste da Alemanha e o seu tráfego era essencialmente turístico com grande parte dos voos para as Canárias e Baleares. A companhia já encerrou e base que está a ser desactivada para ser entregue no final do ano às entidades aeroportuárias.

Ambas as companhias fecharam por falta de liquidez, alegando a maior concorrência das companhias de baixo custo e a quebra do mercado de voos charters.

Todos os viajantes foram reencaminhados para os seus países, não se tendo verificado situações de maior dolo para os passageiros, todos clientes de operadores turísticos, segundo a imprensa internacional do sector.

Fonte: Diário de Notícias (Portugal)

Sem comentários:

Enviar um comentário