terça-feira, 9 de junho de 2009

Cinco pessoas escapam milagrosamente de acidente envolvendo um carro e um avião

Monica Bragança, uma portuguesa de 30 anos, escapou ilesa, bem como os dois passageiros que a acompanhavam, numa carrinha, Ford Ranger, de um choque frontal com uma aeronave, que se viu forçada a fazer uma aterragem de emergência, logo após a descolagem.

O incrível acidente ocorreu por volta das 14:00 (hora local) de domingo (7 de Junho), em Krugersdorp, a oeste de Joanesburgo, na África do Sul, quando Monica Bragança conduzia uma carrinha de cabine dupla, e caixa aberta, numa estrada rural, aonde ela e um grupo de amigos praticavam freeboarding.

Mónica conduzia a carrinha, tendo a seu lado a amiga Anna Vaulina, 26 anos, e, atrás, na carroçaria aberta, ia outro elemento do grupo. Quando seguiam em direcção ao extremo mais baixo da estrada para recolher o grupo que acabara de descer a rampa nos "skateboards", a aeronave, um Piper PA-28-140 Cherokee, prefixo ZS-PSH - com dois ocupantes - tentou uma aterragem de emergência, na estrada, a uns 10 metros, á frente do veículo, e atingiu-o em cheio.

"Nós vimos o avião a descer, e eu sinceramente não achava que ele iria aterrar, acreditava que voltaria a subir. Quando ele bateu no chão, fechei os olhos, mantive o pé no travão e rezei... Acho que fomos muito felizes por estarmos num carro com uma proteção dianteira. "Contou, Monica Bragança, após ter escapado ilesa,bem como os seus acompanhantes.

A amiga de Monica, Anna, comentou:

"Eu pensava que íamos morrer. Parecia em um filme. Ninguém gritou. Pensei que era o fim. Parte do medo veio de ver os rostos dos pilotos olhando directo para nós."

Após bater na Ford de Mónica, empurrando-a para trás, o avião ricocheteou e, imobilizou-se na estrada a arder.

O outro ocupante do veículo, Tony van Aswegen, foi lançado no ar 10 metros para trás da carrinha. Quando olhou em volta, viu que Anna e Monica estavam a sair pelas janelas do veículo e desataram a correr, passando por ele.

"Quando eu percebi que não estava morto, pensei que seria melhor sair pela janela aberta, porque o avião estava prestes a explodir", disse Anna.

"Gritávamos: 'sai, sai' uns aos outros, mas as portas ficaram travadas e a única saída foi através das janelas. Tivemos sorte que foi o cockpit do avião que bateu em nós, porque se tivesse sido a asa, teríamos sido decapitados e morrido imediatamente. Eu e a Monica corremos, o mais rápido que podemos, afastado-nos do local. A minha impressão inicial era de que os pilotos tinham morrido", completou Anna.

Os repórteres, e outras pessoas envolvidas na prova de freeboarding, Nic Haralambous, Craig Rodney, Rich Mulholland, Mike Stopforth, Don Packett, Riccardo Webb, Nic Jackson entre muitos outros, ouviram o acidente, e correram para o local para ver o que estava a acontecer.

"Foram muito corajosos. Um deles, Jonathan, subiu para o tejadilho em chamas, do avião, soltou os cintos dos pilotos e puxou-os para fora", disse Anna."Corriam á volta do avião em chamas, cobertos de sangue, foi muito heróico. Tiro-lhes o meu chapéu. Estávamos todos petrificados, achando que, em qualquer segundo, o avião ia explodir ", acrescentou.

O experiente piloto John Thompson e o passageiro George Carney, estavam presos na cabine do avião da empresa IDW Khaya Distributors, da Cidade do Cabo, quando Jonathan chegou, e sem hesitar, abriu os cintos de segurança, e puxou os atordoados e semi conscientes ocupantes do avião, resgatando-os das chamas, que começavam a alastrar.

Jonathan disse ao jornal The Times sulafricano que um dos passageiros, conseguiu sair por si mesmo, mas o outro estava inconsciente e teve de ser puxado.

"Fui para o outro lado da cabine do avião, tirei o cinto de segurança e puxei o homem cinco minutos antes de o avião explodir", disse ele.

O piloto e o passageiro, ambos na casa dos cinquenta anos, sofreram ferimentos leves. Cerca de 10 minutos depois, a polícia, os serviços de emergência e os paramédicos chegaram ao local e prestaram a assistência necessária. Os passageiros do monomotor, encontram-se livres de perigo, com alguns ossos partidos, e algumas escoriações, mas vivos.

Rodney, após alguns minutos, quando tudo se acalmou, enviou a primeira de várias mensagens e fotos tiradas com o seu iPhone para o Twitter. Em instantes, milhares de pessoas, ao redor do globo, viram as fotos do dramático acidente no seu site.

Na sua página do Facebook, Anna acrescentou:

"Tenho muita sorte de estar viva, estou muito feliz de ter aquelas pessoas, incríveis e amigos no local para retirar os pilotos para fora do avião em chamas."

Saibam mais, no Twitter dos envolvidos:

Anna Vaulina (twitter.com/annaling)
Monica Braganca (
http://twitter.com/MonicaBraganca)
Nic Haralambous (
http://twitter.com/nicharry)
Mike Stopforth:
http://twitter.com/mikestopforth)
Nick Jackson (
http://twitter.com/nickjackson)
Don Packett (
http://twitter.com/donpackett)
Craig Rodney (
http://twitter.com/Craigrodney)
Rich Mulholland: (
http://twitter.com/RichMulholland)
Guy Taylor (
http://twitter.com/xsyn)

Fontes: The Daily Mirror (Tradução: Jorge Tadeu) / Diário Digital / Agência Lusa - Fotos: Craig Rodney

Sem comentários:

Enviar um comentário